Carta aos pregadores: Quando outro pregador é escolhido…

set 5 • Aprofundando, Destaques, Estudos • 1446 Views • Comentários desativados em Carta aos pregadores: Quando outro pregador é escolhido…

Outro dia, observando uns alunos no recreio da escola “formando” seus times para um “joguinho”, observei que um garotinho não foi escolhido para nenhum dos dois times que se formara. Ele sentou-se num degrau com semblante nitidamente triste por não ter sido escolhido e ficou assistindo ao jogo, cheio de vontade participar. Esta cena me fez refletir!

Instigante situação acontece quando outro pregador é escolhido e não nós. Não se entende no momento, mesmo assim é preciso aceitar. Jesus passou por isso quando, o povo, instigado pelos poderosos da época, preferiu a Barrabás (Para quem não sabe, o nome Barrabás é formado por BAR+ABBÁ, ou seja, filho do pai, mas o povo não soube identificar qual era o verdadeiro Filho do Pai-cf Mt 27,21). Um outro personagem bíblico também enfrentou semelhante situação: a “sorte” escolhe Matias e não Barsabás (Cf At 1,23-26). Na escolha dos Apóstolos, certamente havia outros pescadores ouvindo o convite de Jesus “Vinde após Mim…” (cf. Mc 1,17), mas dentre vários homens, Jesus escolheu apenas doze.

“Subiu o monte e chamou os que Ele quis…” (cf. Mc 3,13). Tente visualizar a expressão de cada apóstolo quando Jesus diz “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja…” (cf. Mt 16,18). Certamente perguntaram-se: Por que ele? O que ele fez melhor que nós? O que ele sabe fazer que nós também não saibamos? Mas nos dedicamos tanto e ele foi o escolhido?E ainda, quando Jesus “escolhe” João para “entregar” Maria como Mãe!

Por que Jesus não se mostrou primeiro a Pedro, João, Tiago ou quem sabe a Tomé? Ele escolheu Maria Madalena!(cf. Mc 16,9) Nem sempre o óbvio acontece… A escolha não é nossa! Ela é do Senhor!

Nossa caminhada de fé é bem parecida com a de todos estes personagens do Evangelho que acima foram citados. Por muitas vezes você poderia (e “merecia”) ser escolhido e não foi! Não só para pregações, mas em tudo ,quando somos escolhidos, comemoramos, queremos sair gritando para o mundo que fomos preferidos… Se não o somos, às vezes, murmuramos, gemendo e chorando num vale de lágrimas… de murmurações pretensiosas…

Sei que, enquanto você está lendo esta reflexão, deve estar passando um filme em sua mente, lembrando-se de todas as vezes que, no íntimo do seu coração, você chorou por não ter sido o eleito: pelos seus pais, pelo seu padre, pelo seu coordenador… Quero consolar-te dizendo que: aconteceu com Jesus, com Paulo, com os apóstolos e sempre acontecerá conosco!

De toda essa reflexão, o mais bonito, o mais nobre, o mais carismático, é encontrar servos/pregadores que, mesmo não tendo sido escolhidos, continuam, com amor e simplicidade, sua missão do dia a dia. Nisto está a diferença: em não ser preferido em determinado momento e mesmo assim continuar…

O tempo é um sábio mestre que pode tirar o véu das coisas e mostrá-las exatamente como são. Ele revela (tira o véu) pessoas, fatos, situações onde, quem sabe, poderíamos dizer “Agora entendi porque não fui escolhido!” Saber esperar a hora certa é sabedoria do Espírito Santo, Dom de Deus. Muitos se afobam e acabam caindo em contradição ao Evangelho, desanimando, abandonando o barco, largando tudo com aquela justificativa de que “se não fui escolhido então não quero fazer mais nada…” Já vi grandes pregadores, por muitos anos, lavando banheiros sem falar uma só palavra e, o melhor, sem desistir, pois, por Sabedoria Divina, sabiam que o seu tempo estava reservado no coração de Deus.

Se naquele seminário, encontro, etc., você queria tanto ser escolhido para pregar e não foi, entenda que sempre deve prevalecer o querer de Deus e não o nosso. Não caia no erro de achar que a coordenação do grupo, do seminário ou do encontro, ao não te escolher, errou! Não sejamos pretensiosos!Se por um lado, de fato, estes discernimentos de escolha possam ser equivocados devido à voz humana, por outro Deus se vale destas oportunidades para provar nossa paciência, maturidade eclesial, entendimento acerca de Sua terníssima vontade!

Enquanto esperamos o relógio de Deus soar a hora certa, vamos estudar, aprofundar nossa fé, orar muito, adorar o Senhor a todo momento …

Jesus é Senhor do tempo e se vale dele para nos ensinar… Por isto, não se assuste, se a qualquer momento, uma luz iluminar-te e sussurrar ao seu ouvido, CHEGOU A SUA VEZ!

 

Leandro Rabello

Coordenador Estadual do Ministério de Pregação RCCRJ

 

Related Posts

Comments are closed.

« »